Notícias

Conheça as 10 principais tendências tecnológicas para 2015

Chegamos aquele momento em que consultorias começam a soltar as primeiras previsões para o próximo ano. O Gartner, que realiza um evento nos Estados Unidos essa semana, revelou sua lista com as 10 tendências tecnológicas para 2015.

gartner-top-2015-tech

A consultoria colocou grande parte de suas fichas no conceito de internet das coisas (IoT), que traz a reboque um universo de componentes complementares como máquinas inteligentes, análises pervasivas e impressão 3D.

Eis as apostas do Gartner:

Computação em toda parte – Para a consultoria, o mundo caminha para um acesso total e ubíquo a toda capacidade tecnologia. Telas inteligentes e dispositivos conectados se proliferarão em diversas formas, tamanhos e tipos de interação.
Internet das coisas – A consultoria manda um recado para os CIOs: experimentem, avaliem e incentivem projetos para desenvolver utilizações de sensores e dispositivos conectados em suas empresas.
Impressão 3D – Ok, não se trata de uma tecnologia nova. Aliás, vamos fazer justiça que o conceito ronda por aí desde 1984. Contudo, agora é que atinge níveis importantes de maturidade. Enquanto o tema ganha atenção no campo de consumo, a verdadeira revolução tende a vir de sua aplicação nas corporações.
Análises avançadas, pervasivas e invisíveis – Toda aplicação é um app de análises nos dias de hoje.
Sistemas contextuais ricos – Conhecer o usuário, sua localização, tudo que ele fez no passado, suas preferências, conexões sociais e outros atributos fornecerão inputs para as aplicações.
Máquinas inteligentes – A capacidade de executar tarefas com precisão e apreenderem com rotinas dará nova dimensão aos mais diversos equipamentos.
Nuvem e client computing – Esse é tópico central para evolução da nuvem. Isso significa que uma aplicação estará baseada em nuvem e será capaz de se estender a múltiplos clients.
Aplicações e infraestruturas definidas por software – Tecnologia precisa misturar estruturas de maneira dinâmica, com elementos pré-definidos e bem menos complexidade.
Web-scale IT – Tópico que se assemelha ao modelo já usado por grandes provedores de soluções em nuvem, incluindo sua cultura abrangente de riscos e alinhamentos de colaboração.
Segurança – Em particular, a tendência é de mais atenção para aplicações com autoproteção.
Grande parte dos pontos que compõem a lista aponta para a fusão entre o mundo real e virtual, e a forma como isso impacta as rotinas das empresas, que se transformam em organismos cada vez mais digitais.

Com base nesse cenário, o Gartner vem alertando executivos de TI para a necessidade de que ajustem seus perfis de liderança a fim de explorarem as oportunidades de negócio. A visão é que digitalização das organizações permite a empresas adotarem uma postura tecnológica menos amarrada a eficiência operacional de processos internos e mais como uma habilitadora para o desenvolvimento de modelos de negócios, serviços e produtos disruptivos.