Cases

Prefeitura de Manaus investe R$ 2,3 milhões em plataforma Nutanix

Projeto trouxe ganhos de 40% apenas com storage. Com a arquitetura tradicional, todos os equipamentos requeridos custariam R$ 6 milhões

Do Computerworld

A Prefeitura de Manaus investiu R$ 2,3 milhões na adoção de uma solução Nutanix. O valor considerou a aquisição de três appliances da fabricante de tecnologias hiperconvergentes. O município avalia que o projeto acarretou 40% de ganhos apenas em storage. Na arquitetura tradicional (servidores, redes e storage) os equipamentos custariam R$ 6 milhões.

A cidade idealizou a iniciativa em abril de 2013 dentro de uma meta estratégica que visava a modernização de todos os processos da administração pública, iniciando pelas secretarias de Finanças e de TI.

Nessa época, a equipe de TI da casa definiu três métricas para o projeto: identificar tecnologias alinhadas à modernização das secretarias; melhorar a infraestrutura tanto do data center quanto do ambiente que suporta os sistemas tributários do órgão executivo; e que todas as tecnologias tivessem longevidade e escalabilidade de cinco a oito anos para manter o investimento no futuro.

O planejamento inicial para a modernização foi realizado em cima de uma arquitetura tradicional de tecnologia, com storage, soluções de rede e servidores blade. Pelos cálculos do departamento, existia uma necessidade imediata de expansão dos equipamentos de armazenamento que custaria R$ 3 milhões. A empresa partiu atrás de fornecedores que atendessem suas demandas.

Em julho 2014 foi realizada uma prova de conceito (POC). Um integrador montou um comparativo da solução Nutanix com a plataforma da IBM, que era utilizada na prefeitura, com storage DS 8000, servidor blade center H, entre outras aplicações. O ambiente de quatro servidores foi montado em apenas um appliance da Nutanix.

A definição pela aquisição da plataforma da fabricante ocorreu em outubro. Em razão das normas de aquisições em período de eleições, o processo de compra só foi aberto em janeiro 2015. No início de março foi feita a implantação da plataforma hiperconvergente, que durou dois dias.

Com base em solução única e integrada, baseada em software, custos com refrigeração, energia elétrica, espaço, manutenção e equipe de TI foram reduzidos. O conceito de data center definido por software oferece mais flexibilidade.